Pular para o conteúdo

Metaverso ‘fracassa’ entre os próprios funcionários do Facebook


Continua após a publicidade

Depois de ter virado meme na internet, o metaverso apresentado por Mark Zuckerberg se tornou motivo de comentários até dentro da própria empresa. Memorandos obtidos pelo site americano The Verge informaram que o aplicativo Horizon Worlds — o metaverso do Facebook — está passando por problemas de instabilidade e bugs no sistema, fazendo com que nem os funcionários da empresa queiram utilizar a plataforma.

Apesar do empenho da Meta, holding do Facebook, em tentar fazer com que o app seja popular, Vishal Shah, vice-presidente da divisão de metaverso da empresa, indicou em documento publicado em 15 de setembro que a equipe responsável pelo desenvolvimento do app vai ficar em um “bloqueio de qualidade” até o final do ano. A ideia é assegurar que as “falhas de qualidade e problemas de desempenho” sejam resolvidas antes que a plataforma esteja disponível para os usuários.

O app foi lançado em dezembro do ano passado após a mudança do foco da companhia de Zuckerberg para o universo virtual. Em breve, o Horizon Worlds deve ser disponibilizado para celulares e computadores em uma versão web — caso não tenha o lançamento adiado.

Horizon Worlds não foi um sucesso dentre os funcionários da Meta
Horizon Worlds não foi um sucesso dentre os funcionários da Meta Foto:

Mesmo com os funcionários da Meta reprovando indiretamente o aplicativo, Vishal não abriu mão dele. No dia 30 de setembro, ele assinou um segundo memorando, reforçando a falta de interesse dos membros da empresa, mas, segundo o The Verge, o vice-presidente estava com planos de fazer os gerentes incentivarem suas equipes a utilizar o Horizon Worlds ao menos uma vez por semana.

“Entre lá. Organize horários para usar (a plataforma) com seus colegas ou amigos, tanto nas atividades internas quanto nas públicas para que você possa interagir com nossa comunidade”, afirmou Shah no documento.

Continua após a publicidade

*É estagiária sob supervisão do editor Bruno Romani

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *